sábado, 1 de fevereiro de 2014

quinta-feira, 4 de abril de 2013


Os Filtros dos Sonhos são mandalas de cura que tiveram origem com os índios Ojibwe (ou Chippewa).
De acordo com eles o tempo dos sonhos é influenciado por boas e más energias e a função dos Filtros dos Sonhos, ou Dream Catchers, é a de afastar as energias intrusas e incorretas que, presas na teia, se dissipam com os primeiros raios do Sol. Já os sonhos bons, nossos, sejam eles pesadelos ou não, sabem exatamente onde ir, passam pelo buraco central da teia e chegam até nós trazendo sempre mensagens importantes.


Devemos sempre nos lembrar que estes "objetos" não são simples objetos decorativos, eles são instrumentos de poder, são medicinas. Estas medicinas são carregadas com um propósito que ativamos ao construir o Filtro, que é quando colocamos nosso espírito e nossa energia transaformando-o em um instrumento de poder.


Conta uma das lendas relacionadas aos Filtros dos Sonhos que uma aranha fiava sua  teia próximo à cama da avó. Todos os dias ela observava a aranha trabalhar. Alguns dias depois o neto entrou e, ao ver a aranha na teia, pegou uma pedra para matá-la. Mas a avó não deixou e o menino, apesar de achar estranho, respeitou seu desejo. A velha mulher voltou-se para observar mais uma vez o trabalho do animal e, então, a aranha falou: "Obrigada por salvar a minha vida. Vou dar-lhe um presente por isso. Na próxima Lua Nova vou fiar uma teia na sua janela. Quero que você observe com atenção e aprenda como tecer os fios, porque esta teia vai servir para capturar todos os maus sonhos e as energias ruins. O pequeno furo no centro vai deixar passar os bons sonhos e fazê-los chegar até você."
Quando a Lua Nova chegou a avó viu a aranha tecer sua teia mágica e, agradecida, não cabia em si de felicidade pelo maravilhoso presente. "Aprenda", dizia a aranha. Finalmente, exausta, a avó dormiu.
Quando os primeiros raios do Sol surgiram no céu, ela acordou e viu a teia brilhando como jóia graças às gotas de orvalho capturadas pelos fios. A brisa  trouxe penas de pomba que também ficaram presas na teia, dançando alegremente, e, por último, um corvo pousou na teia e deixou uma longa pena pendurada. Por entre as malhas da teia o Pai Sol sorria alegremente. A avó, feliz, ensinou todos da tribo a fazerem os Filtros dos Sonhos. E até hoje eles vem afastando os sonhos maus de muita gente.